A hora que dói

A hora que dói

A exploração do sofrimento

O assunto de hoje é bem diferente do que costumamos abordar, mas é algo que precisa nos levar à reflexão. Ontem nosso país ficou em luto, em choque, por causa da tragédia aérea envolvendo o time da Chapecoense e sua equipe. A notícia sensibilizou o mundo todo. Foi um dos assuntos mais comentados e pesquisados na internet a nível mundial. Nesse cenário de tristeza, a gente se deparou com todo tipo de publicação nas redes sociais. Infelizmente, alguns veículos de comunicação pareceram se aproveitar da situação para garantir uma maior audiência. Um tanto desrespeitoso, não é? Fiquei impressionada ao ver o público em fúria  por esse tipo de atitude, porque geralmente acabamos sendo os maiores patrocinadores do sensacionalismo (afinal, damos ibope para coisas do tipo o tempo todo).

O caso mais polêmico de sensacionalismo sobre o acontecimento foi o da página Catraca Livre, que deixou seus seguidores irados por causa do oportunismo de suas pautas. A fanpage perdeu vários seguidores. No início da manhã, ela tinha mais de 8,3 milhões de seguidores, na tarde de terça o número já havia caído para 7,9 milhões, ficando nessa madrugada em 7,894 – e continua caindo, de acordo com o Quintly. As matérias publicadas pelo Catraca após o acidente foram consideradas apelativas, como se valesse tudo por audiência. Dê uma olhada nas manchetes:

Brasília (DF), 17/04/2016. Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em direvßv£o ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) apv=s ter votado contra a abertura do processo de impeachment. (Foto: Diego Vara / AGÊNCIA RBS / AG. O GLOBO) **RS E SC OUT** **SOMENTE USO EDITORIAL**

Brasília (DF), 17/04/2016. Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em direvßv£o ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) apv=s ter votado contra a abertura do processo de impeachment. (Foto: Diego Vara / AGÊNCIA RBS / AG. O GLOBO) **RS E SC OUT** **SOMENTE USO EDITORIAL**

Brasília (DF), 17/04/2016. Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em direvßv£o ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) apv=s ter votado contra a abertura do processo de impeachment. (Foto: Diego Vara / AGÊNCIA RBS / AG. O GLOBO) **RS E SC OUT** **SOMENTE USO EDITORIAL**

Nas postagens, várias selfies dos jogadores dentro do avião, enfatizando que foram os últimos registros deles com vida. Já nos comentários, os leitores pediam que o Catraca Livre parasse de postar “matérias oportunistas e sensacionalistas”. A página se manifestou dizendo que considera “relevante jornalisticamente mostrar outros aspectos da tragédia” e que “precisamos não apenas lamentar, mas informar”. Por volta das 14 horas, fizeram uma nova retratação, dessa vez com avisos de “Desculpas” e “Erramos”.

abre0149

Além disso, camisetas do time tiveram seu preço dobrado em algumas lojas. A Netshoes teve, inclusive, que se justificar publicamente por fazer isso. Disseram que o aumento do preço já estava programado no site por conta do término do Black Friday. O público continuou revoltado.

Nossa reflexão…

Não vou explorar mais sobre esse oportunismo aqui. Antes de ser blogueira, sou jornalista. Mas antes de ser jornalista, sou cristã. Parece tão óbvio que a solidariedade e o respeito deveriam ser a base de toda nação, mas na prática todos nós falhamos. TODOS. Reclamamos da mídia exploratória e sensacionalista, mas agimos como veículos dela no dia a dia, como sócios. Compartilhamos matérias no Facebook, enviamos links por WhatsApp, mostramos fotos chocantes para os amigos, rimos de todo tipo de tragédia — desde um atrasado no Enem até da morte de alguém. No fim, tudo vira meme, tudo vira piada.

Pior é quando nos iludimos com um falso moralismo, uma falsa piedade, uma falsa ética. Quantas vezes piadas sobre times de futebol aparecem no nosso feed? Quantos caçoam de “pessoas públicas” diariamente? Quantos menosprezam atletas? Quantos riem da aparência dos outros? Quantos disseminam fofocas, ainda que “apenas de celebridades”? De repente, a morte causa um choque na realidade. Depois dela, todo mundo se torna herói, todo time se torna campeão, toda celebridade se torna um ícone, toda pessoa se torna melhor amigo, melhor irmão e cidadão.

Por que esperamos a tragédia para enxergar o melhor de alguém e valorizar sua existência? Por que esperamos a morte para exigir respeito e piedade? Por que só após o luto percebemos que todos indivíduo é insubstituível? Por que só depois de um sepultamento nos lembramos que todo ser humano é filho, é pai, é marido, é mantenedor? Por que só após a perda que notamos a falta? Será que somente após a dor reconheceremos que todos nós somos pó e que toda vida é um sopro? Que tal darmos mais flores em vida?

Em oração pelas famílias enlutadas… 

por Emanuelle Sales

3 Comentários

  1. Cristiane Sales

    O amor do mundo está esfriando e onde corações sensíveis vêem dor é angústia e uma necessidade enorme de aliviar o sofrimento, outros vêem uma fonte de renda e destaque para dar Ibope. Triste. Mas o texto acima veio nos dizer algumas verdades.

    1 de dezembro de 2016 @ 13:31
  2. Mirela Patrício

    Lindo texto!

    2 de dezembro de 2016 @ 14:59
  3. Ana Paula Machado

    Texto maravilhoso mesmo. Pra refletir…

    2 de dezembro de 2016 @ 15:00

Publicar um comentário

Seu e-mail será nunca publicado ou compartilhado. Campos obrigatórios são marcados *

*
*

ou