Maternidade com sinceridade

Maternidade com sinceridade

Nem tudo é mágico, e nem tudo é um pesadelo

Há alguns dias eu gravei o vídeo “Por que decidimos não ter filhos”. A repercussão foi muito interessante. Tivemos desabafos dos mais sinceros nos comentários. Juro, não esperava por isso. Foi um momento de grande aprendizado, pois compartilhamos muitas experiências e histórias num bate-papo cabeça. Eu não tenho filhos, mas nossa colunista Naysa Rabelo virou mamãe recentemente e tem uma visão bem mais ampla sobre o assunto. Sem rodeios nem falsidades, ela gravou este vídeo respondendo várias perguntas de vocês sobre gravidez e maternidade. Quem sabe algumas delas sejam suas dúvidas também. Se você é mãe, dê sua opinião “profissa”. Se não é, aproveite o bate-papo para entender mais sobre o assunto.

Conte sua experiência nos comentários.
Você pode ajudar muitas outras mulheres…

por Emanuelle Sales

5 Comentários

  1. Lisi

    Olá!

    Sou mãe de uma menina de 10 anos e um menino de 8.

    e gosto muito de dizer:

    ” Sabe aquilo que falam que é muito bom em ser mãe? Puxa é mto melhor..mas sabe aquilo que dizem que é ruim..bah! É mto pior kkkkk”

    17 de novembro de 2016 @ 17:21
  2. Karen

    Gosto muito de seus textos mas, acho esse assunto muito pessoal. Tenho um filho de 3 anos, amo meu filho e não sei como eu seria se não o tivesse. Não é fácil, requer sacrifícios e concordo com você se a pessoa não está pronta para isso melhor não ter. Eu não me importo com a parte ruim de ter filho, porque todos os momentos bons sobressaem, brinco com ele de esconder, de correr, ele se preocupa se estou triste, doente ou feliz da mesma forma eu com ele. É muito bom ter amor da minha mãe e amar o meu filho também.

    23 de novembro de 2016 @ 9:41
    • Emanuelle Sales

      Oi, Karen, COM CERTEZA é um assunto bem pessoal mesmo. Cada um tem uma forma de lidar com a maternidade e passa por experiências diferentes, né? Eu não sou mãe, então não toco no assunto. Este vídeo é da nossa colunista Naysa Rabelo, que virou mãe recentemente. E o objetivo dele é esse mesmo: ouvir a experiência diferente de cada mãe, como vc fez! =) Lá no Youtube tem várias mamães participando. Obrigada por deixar sua linda opinião. Beijos

      23 de novembro de 2016 @ 13:16
  3. shirlene

    Olá!!

    Você confirmou o que eu sempre pensei sobre visitar mães de recém-nascidos. Presumia que não era uma boa ideia. Pois, penso que a mãe ainda está se adaptando à maternidade e que ela quer dormir sempre que o bebê dorme ou que ela pode. Já tinha essa prática de ir ver o bebê só lá no hospital e em casa a partir do 3º mês ou 4º mês.
    Deus abençoe muito sua família com muito amor, saúde, sabedoria e que vocês sejam prósperos.

    Um abraço

    11 de janeiro de 2017 @ 19:26
  4. Andyara

    Eu não estava preparada para ter um filho e acabei engravidando 1 mês depois de casar. Um verdadeiro susto. Mas hoje minha filha tem 8 meses e sinto como se ela sempre estivesse comigo. Verdade que por mais que o marido ajude no maximo que puder, a mãe sempre vai ser a fonte e a gente se sente um caco praticamente todo dia, mas vale dar um up no visual e tentar levar a maternidade de uma forma mais leve. Eu mesma tenho 22 anos e todo mundo diz que ainda tenho um futuro pela frente, claro que tenho! E digo que com filhos pode ser que alguns planos tenham que esperar um pouco, mas não se tornam impossiveis. Quanto ao casamento também concordo que o casamento muda, a gente tem que ta muito conectado, pensando que varios momentos são momentos mesmo! Vão passar! Porque olha… Tem dias que dá vontade de sair correndo sem nem olhar pra tras, ainda mais com a cobrança que a sociedade impoe sobre a mulher/mãe/esposa. Mas no fim das contas, basta um olhar, um sorriso, os bracinhos abertos querendo o colo da gente pra gente se derreter de novo e ficar cada vez mais sem palavras para explicar esse amor de mãe. Aproveito ao máximo cada fase, pois não pretendo ter mais filhos e sei que mesmo não querendo vou sentir saudade de tudo isso.

    17 de janeiro de 2017 @ 15:55

Publicar um comentário

Seu e-mail será nunca publicado ou compartilhado. Campos obrigatórios são marcados *

*
*

ou