Machismo não é piada

Machismo não é piada

“O corpo da mulher não é território público”

Oi, oi, meus amigos! Fiquei 1 mês sumida daqui e investindo tempo no canal Bonita Adventista no YouTube. Falando nisso, INSCREVA-SE lá e assista tudinho. Hoje quero bater papo em forma de escrita. Topa ler? Acabei de me deparar com uma matéria a respeito da apresentadora Fernanda Lima. Recentemente, ela se envolveu numa polêmica com o apresentador Silvio Santos. O motivo da discussão foi o desrespeito com as mulheres, principalmente através de piadas e falas machistas. Diante da repercussão, ela fez uma declaração em sua rede social. Veja só:

fernanda_lima_silvio_santos

Diante de tantas manifestações carinhosas e outras tão agressivas que venho recebendo ao longo dessas semanas, resolvi escrever para elucidar os pontos que acredito que não me fizeram calar diante desse debate público, afinal, nada aqui é pessoal. É coletivo, é política.Pessoalmente, ser chamada de magra, ou mesmo ser objetificada com frases do tipo ‘se ela não souber fazer amor e sexo eu vou ensinar a ela’ me parece um absurdo, mas não me oprime a ponto de me fazer sair do conforto do meu silêncio para pedir respeito. Sei quem sou, gosto do meu corpo e e escolho com quem faço amor e sexo. No entanto, politicamente, como uma comunicadora, venho aprendendo que o mundo mudou e que não cabe mais rir do oprimido, mas sim do opressor. 

Ter privilégios também implica ter responsabilidade. De que adianta dar visibilidade às minorias para zombar da cara delas? Romper o silêncio pode ser desesperador ou libertar. Prefiro acreditar na segunda opção, então, não me calo. Sigamos firmes na construção de vias de comunicação, de informação, de aprendizado sobre os males sociais do machismo para que nenhuma mulher mais sofra qualquer tipo de violência pelo simples fato de ser mulher: chega de assédio, de abuso, de violência contra nossos corpos, contra quem somos. O corpo da mulher não é território público onde se pode meter a mão, avaliar, invadir, usar, agredir. Não vamos assistir caladas essas ‘brincadeiras’ se reproduzindo por aí a torto e a direito.

A apresentadora termina o texto lembrando dados assustadores relacionados à violência contra a mulher no Brasil e pedindo, mais uma vez, que as pessoas parem de ser benevolentes com brincadeiras sexistas.

No último sábado, a Igreja Adventista se uniu para mais uma campanha Quebrando o Silêncio. Já são 15 anos lutando contra a violência doméstica, o assédio sexual, o estupro… Como cristãos, não podemos nos calar diante de uma realidade desrespeitosa, principalmente com as mulheres. Quero compartilhar com vocês 2 pequenos textos de Ellen White sobre a mulher. Dá uma olhada:

sobre_elas

A mulher que se submeter a ser sempre dirigida, mesmo nos menores assuntos da vida doméstica, que abrir mão da própria identidade, jamais será de grande utilidade ou bênção para o mundo, e não corresponderá ao propósito que Deus tem para a sua existência. Sendo meramente uma máquina, é dirigida pela vontade e mente de outra pessoa. Deus deu a cada um, homem e mulher, uma identidade, uma individualidade, pois precisam agir por si mesmos no temor de Deus. 

Embora duas pessoas se casem, façam um ao outro os mais solenes votos à vista dos Céus e dos santos anjos, e se tornem uma só carne, ainda assim cada um possui identidade separada, que o concerto matrimonial não pode destruir. Embora unidos um ao outro, cada um possui uma influência a exercer no mundo, e nenhum deveria absorver-se tão egoistamente com o outro, a ponto de fechar-se para a sociedade e sepultar sua utilidade e influência. 

Conta aí o que você pensa sobre isso!

por Emanuelle Sales

13 Comentários

  1. Lôrrane Araújo

    Olá
    Muito boas as colocações.
    Gostaria de saber qual livro da escritora Ellen Wite?
    Obrigada.

    31 de agosto de 2017 @ 18:38
    • Emanuelle Sales

      “Testemunho sobre conduta sexual, adultério e divórcio”, página 25 =)

      31 de agosto de 2017 @ 21:35
  2. Rebeca Kethlen

    Sinto nauseas quando vejo este tipo de desrespeito. Sou o tipo de mulher que nao consigo me manter calada quando sou abusada de qualquer forma ou quando vejo alguem sofrendo algum tipo de abuso. Meninas nao precisamos aturar este tipo de comportamento, alias tudo o que foi dito aqui esta mais que certo!
    Parabenizo mais uma vez a minha amiga Manu por abordar esse tema, que é tão essencial, tão necessario.
    Parabens meninas. Vamos lutar contra esse lixao do desrespeito.

    31 de agosto de 2017 @ 21:03
    • Emanuelle Sales

      Lindas palavras, Rebeca linda. Não podemos tampar os olhos para essa triste realidade.

      31 de agosto de 2017 @ 21:36
  3. Jéssica Lemos

    Todos os assuntos que você trata aqui são relevantes e agregam valor ao nosso conhecimento. Esse foi mais um para servir de alerta e reflexão. Parabéns Emanuelle Salles. Admiro o seu trabalho.

    31 de agosto de 2017 @ 23:22
    • Emanuelle Sales

      Awww obrigada, querida. Que a gente se una pra refletir a aprender juntas nessa caminhada ao Céu!

      31 de agosto de 2017 @ 23:35
  4. Keilla Nihira

    Olá, sou nova na igreja adventista e todo dia é um aprendizado e uma surpresa pra mim. Eu sai do feminismo, voltei para Cristo e estou me preparando para o ministério onde Deus vai me usar muito para ministrar para as mulheres o meu testemunho, quero ajudar nossas irmãs a vencerem esse machismo, que faz parte do sistema mundano, que Jesus nos ensina a nega-lo. Saber o que a Ellen White pensava sobre a identidade da mulher, até mesmo depois de casada me dá esperança de que estou no caminho certo para esse ministério. Obrigada Emanuelle por compartilhar isso, é luz para mim e para todas as mulheres que precisam se libertar. Deus te use mais e mais. Abraço

    1 de setembro de 2017 @ 0:04
    • Emanuelle Sales

      Que mensagem MARAVILHOSA! É nítido pelas suas sinceras palavras que Deus está te moldando para um ministério lindo. Estamos juntas nessa caminhada =)

      1 de setembro de 2017 @ 13:19
  5. Josélia Queiroz

    Pesquisando sobre esse assunto descobri o quanto existe em nossas
    igrejas mulheres vítmas de abuso e também abusadores! Quanta incoerência!
    Deveríamos somente abrigar e orientar esta classe de sofredores, no entanto há no meio
    dos herdeiros do reino tal lástima! Triste! Dolorodo!
    Quanto almejo o céu, para enfim viver bem!!
    Ótimo texto Manu…

    1 de setembro de 2017 @ 13:59
  6. LENI SILVA DESTRO

    Ótima abordagem sobre o assunto,já vi tantos relatos sobre isso que me assusta.Vejo que o que falta muito hoje é o respeito pelo ser humano,seja homem ou mulher,patrão ou empregado.Quando nos colocamos no lugar da pessoa em questão,talvez não se fizesse o que fazem,afinal não gostaríamos de passar aquilo que fazem com o outro.

    20 de setembro de 2017 @ 14:03
    • Emanuelle Sales

      Realmente o “se colocar no lugar do outro” faz muito sentido!

      21 de setembro de 2017 @ 15:24
  7. Marcelo

    Quero lembrar que a violencia e o desrespeito contra os homens também acontece, e muito. Temos que nos esforçar para diminuir a violencia em geral e nao focalizar especificamente na violencia contra a mulher.

    20 de setembro de 2017 @ 14:24
    • Emanuelle Sales

      O amor é a resposta cristã, independente de quem seja: homem, mulher, animais, natureza, criminosos.

      21 de setembro de 2017 @ 15:23

Publicar um comentário

Seu e-mail será nunca publicado ou compartilhado. Campos obrigatórios são marcados *

*
*

ou